Este artigo foi retirado originalmente da Revista Época

7 dicas para se dar bem no TOEFL

O TOEFL (Test Of English As Foreign Language) é um dos exames de proeficiência da língua inglesa mais requisitados no mundo. Ele predomina nos Estados Unidos e é exigido para entrada em 9 mil instituições de ensino superior, universidades e agências de 130 países. Além disso, obter um certificado do teste é um importante trunfo para o currículo na hora de comprovar o domínio do idioma para um recrutador.

O exame avalia as habilidades de reading (leitura), listening (compreensão oral), speaking (fala) e writing (redação). Cada uma delas irá gerar uma pontuação que varia de 0 a 30. Ou seja, ao final, o aluno pode atingir a nota máxima de 120 pontos. Antes de se inscrever no teste, tenha em mente qual o seu objetivo. Se for entrar em uma instituição específica, procure saber qual é a nota mínima que ela exige para aceitar inscrições ou ainda a nota média que os alunos que ingressaram ali tiveram. Feita a prova, o estudante poderá utilizá-la por dois anos.

Fazer o teste também exige desembolsar um valor considerável. Atualmente, as taxas no Brasil estão em US$ 215 dólares (R$ 735). É recomendável que você se inscreva três ou quatro meses antes da data desejada para reservar sua vaga. Apesar de ser possível se inscrever pessoalmente em uma instituição que realiza o teste, por telefone ou correio, a inscrição online é o método mais simples. Você pode escolher aonde que realizar o teste e ver quais datas estão disponíveis. Elas variam de acordo com a cidade.

Data escolhida, inscrição paga, por onde é recomendável começar o estudo? Conversamos com Ana Virginia Kesselring, diretora da Virginia Center School, para tirar as principais dúvidas. Consideramos que o estudante irá realizar a versão iBT do TOEFL, aquela em que o exame é aplicado pela internet, mas exige a presença do estudante um dos centros de realização. É ela a mais aceita no mundo.

Getting Ready for Test Day Image

Abaixo, confira sete dicas para chegar mais preparado à prova:

1. Defina o plano de estudo

Um tempo considerado bom para o preparo é de três a seis meses. Antes de definir a data do teste, porém, escolha quais serão as estratégias de estudo: do livro didático até a rotina. O planejamento incluirá um professor? Quanto você está disposto a estudar por semana? Quais são seus pontos fracos? Para ajudar, leia tudo sobre o teste no site oficial do TOEFL, conferindo, por exemplo, como a pontuação é contabilizada em cada parte da prova. 

2. Manter o foco é essencial

Há algumas particularidades do TOEFL que podem atrapalhar a concentração na hora da prova. Uma delas é o fato de que provavelmente o exame é realizado em uma sala lotada e, muitas vezes barulhenta, já que outras pessoas também estarão respondendo às questões da prova. Uma dica aqui é fazer anotações para manter o foco e “ignorar” as interferências externas.

Outro ponto crítico da prova é ela ser realizada em um computador — ou, seja, não haverá conversa direta com um examinador. As perguntas, os áudios e os temas serão apresentados pelo computador. É com ele que o estudante precisará lidar. “Conversar com um computador não é algo natural, portanto é preciso se preparar para isso: treinar como organizar as ideias, expressar-se e mostrar tudo o que você sabe no tempo sugerido”, diz Ana Virginia. Posteriormente, dois examinadores colherão suas respostas, redação e áudios para diagnosticar a nota final.

3. Treine o uso do tempo para cada parte da prova

O TOEFL é um teste que, no fundo, irá treinar a sua capacidade de sintetizar ideias e expor argumentos. É preciso ser rápido e conciso para expressar opiniões em até 1 minuto. Além disso é uma prova que irá avaliar a gramática e vocabulário que você consegue utilizar em determinado tempo — não necessariamente o uso formal do idioma. “A boa notícia é que, como o teste é padronizado, você consegue treinar e desenvolver métodos para se sair melhor”, diz Ana Virginia. Repetir exercícios, portanto, é uma das dicas. Sempre com o cronômetro ao lado e fazendo anotações — seja para o speaking, listening, reading ou writing. Este treino, segundo Ana Virginia, irá lhe permitir criar modelos para o speaking e  writing -— para que, independente do tema, o candidato já saiba como usar algumas expressões de modo mais rápido e direto.

4. Dá para estudar sozinho, mas uma ajuda extra é bem vinda

Independentemente de o aluno ter disciplina para estudar e um bom nível de inglês, é importante ter um suporte de ajuda principalmente no treino do speaking e na análise das redações. Seja um professor ou um amigo mesmo. No caso do writing, o feedback será importante para melhorar o conteúdo produzido, treinar escrever com uma estrutura mais clara e deixar a exposição de ideias mais claras.

O TOEFL leva em conta a forma como o texto é apresentado: é preciso ter em mente a introdução, o desenvolvimento e a conclusão. Tentar copiar somente modelos disponíveis na internet pode ser insuficiente. Segundo Ana Virginia, o nível de exigência para o texto é alto, mas não tão formal quanto em um exame de Cambrigde, por exemplo. “Eles vão avaliar se você sabe usar bem o passado (Simple Past), o presente e o futuro simples, bem como o Present Perfect”.

5. Não limite seu estudo aos livros didáticos

Aumentar o vocabulário e o entendimento de áudios é uma tarefa que precisa ser feita em várias frentes. Não fique apenas nos livros ou alguns poucos vídeos. Use e abuse de ferramentas de streaming, procure por podcasts em inglês e sites com texto acadêmico nível colegial. Aproveite seu tempo no trânsito, no metrô ou enquanto espera uma consulta para estudar com este material selecionado. Ouvir, falar ou ler em inglês durante o dia a dia irá melhorar sua preparação. “Para a compreensão do listening, por exemplo, é preciso escutar muito sobre diferentes assuntos”, diz Ana Virginia.

6. Considere fazer a prova 2 vezes para obter a nota desejada

É recomendável considerar fazer o TOEFL duas vezes. É claro que isto depende da condição financeira, já que o teste não sai barato. Mas, se for possível, é uma boa opção, já que a pressão na hora de fazer a prova diminui. “Pode-se tentar fazer dois testes em um intervalo de um mês. Isto diminuirá a ansiedade e peso na primeira prova ou trará mais confiança. Nós vemos que a performance aumenta muito”, diz Ana Virginia. Não há um limite para o número de vezes que você pode realizar o exame, mas não é possível fazê-lo mais de uma vez em um período de 12 dias.

7. Prepare-se para uma prova longa

A duração da prova é de 4 horas, com um intervalo de 10 minutos. É preciso chegar 30 minutos antes do horário marcado. A dica é tentar dormir e se alimentar bem durante toda a semana que antecede o teste, além de verificar com antecedência onde será o local da prova. Também é aconselhável levar lanches e não tomar muita água logo no início do teste, para que não fique nervoso se ficar impossibilitado de ir ao banheiro por estar com tempo de resposta curto. Se algum problema técnico ocorrer, como falta de luz, é recomendado realizar uma reclamação formal no centro de realização da prova e também entrar em contato direto com o ETS (reportcheating@ets.org), instituição que organiza e administra o TOEFL em todo o mundo.